spot_img

Veja também

Relação de amor e ódio – Como lidar

Se você olhar para as palavras ódio e amor, cada um de nós sabe que são opostas. Nenhum de nós usaria esses dois termos para descrever as emoções da mesma pessoa.

Porque se você ama alguém, você não pode odiá-lo, pode? Nossos pais, irmãos e professores nos ensinaram isso desde cedo. Mas, ao longo da vida, ouve-se cada vez mais o termo relacionamento de amor e ódio.

Pode realmente acontecer que você possa amar e odiar alguém ao mesmo tempo? Agora, se pegássemos um dicionário e procurássemos o termo relacionamento de amor e ódio, obteríamos uma explicação simples.

Você pode explicar dois sentimentos tão diferentes como amor e ódio com a ajuda de algumas frases? Os sentimentos em si são difíceis de descrever, e é por isso que a maioria das pessoas acha difícil expressar seus sentimentos mais profundos em palavras.

É exatamente por isso que as pessoas tentam confirmar seus sentimentos por meio de ações concretas. Muito poucos de nós seriam capazes de explicar o amor à primeira vista , porque o caos emocional é muito intenso.

Qualquer pessoa pode descrever os processos que ocorrem no corpo, como coração acelerado, tonturas, tremores, às vezes vergonha ou você não consegue dizer uma palavra.

Mas se você se aprofundar no assunto do discurso de amor e ódio, você rapidamente perceberá que o mundo está cheio de um tipo de relacionamento de amor e ódio.

O objeto de amor / ódio nem sempre tem que ser o parceiro de relacionamento; às vezes, a relação de amor e ódio diz respeito à família ou aos amigos.

Mas, para entender como dois estados emocionais completamente diferentes podem se misturar, temos que ir ao fundo de tudo.

Como surge o desenvolvimento de amor e ódio?

Pessoas mais velhas e mais experientes disseram repetidamente que a linha entre o amor e o ódio é muito tênue.

Mas é realmente verdade que você pode simplesmente ir do amor para o ódio assim e então voltar e reverter assim?

Muitas pessoas se deixam guiar pelos próprios sentimentos, mas muito poucos sabem que os sentimentos não se dividem apenas em amor e ódio.

Às vezes sentimos decepção e automaticamente o associamos ao ódio, porque o ódio é mais fácil de classificar porque é um sentimento de que não gostamos.

Da mesma forma, há confusão com amor e outros sentimentos positivos; quando alguém está feliz, automaticamente os associa ao amor.

Exatamente por essas razões, chega-se ao caos emocional e não podemos avaliar nossos sentimentos com exatidão.

Mas a questão ainda paira na sala, o que desencadeia um relacionamento de amor e ódio e se você pode realmente viver com isso e ter um relacionamento normal?

Como foi dito no início, você não pode apenas sentir relacionamentos de amor e ódio com seu parceiro, mas deve estar atento ao falar sobre esse emaranhado de sentimentos.

Algumas pessoas acham difícil lidar com o relacionamento de amor e ódio e tais explosões de emoções podem atrapalhar completamente sua vida privada.

Relacionamentos de amor e ódio, ou como a geração mais jovem os chama, relacionamentos de amor e ódio não podem ser eliminados com apenas uma visita ao médico ou comprimidos.

Esses sentimentos estão profundamente enraizados em nós e você precisa de muita paciência para poder enfrentar o caos emocional e encontrar uma solução concreta.

Se você não sabe o que fazer sozinho, os terapeutas nos oferecem mais informações que podem nos ajudar no caos emocional.

O que desencadeia a relação de amor e ódio?

Como para todo surto emocional, também existem exemplos concretos de como pode surgir para o comportamento de amor e ódio. Todas essas histórias que estamos apresentando a você agora acontecem a muitas pessoas na vida cotidiana.

Você provavelmente já lidou com alguns deles.

1. Abuso de confiança

Um dos principais motivos pelos quais surge um relacionamento de amor e ódio é o abuso de confiança . Existem muitas maneiras diferentes pelas quais alguém pode abusar da confiança de alguém.

Em relacionamentos amorosos, na maioria dos casos, o abuso de confiança está associado à traição.

Se o seu parceiro de longa data te trai, ou se você se descobre depois de um certo período de tempo, ou se ele lhe confessa porque não consegue mais conviver com a mentira, você perderá a confiança.

Naquele momento você se sente magoado, quebrado por dentro, às vezes até vazio. Você automaticamente associa esse caos emocional ao ódio, porque estimula seus sentimentos negativos.

Você fica se perguntando por que seu parceiro fez algo assim, como ele poderia te machucar tanto sem pensar nas consequências?

Lentamente, você começa a questionar tudo. A confiança para o seu parceiro é zero e você não consegue mais olhar nos olhos.

Ainda assim, você não quer desistir de tudo, você quer dar a ele outra chance para que ele possa consertar tudo.

Vai ser uma estrada difícil para vocês dois. Para ele, porque ele tem que reconquistar a sua confiança e para você, porque você tem que confiar nele novamente e não duvidar dele.

Em tais situações, ocorre a conhecida relação de amor e ódio, você o ama porque está apaixonada por ele e pode ou poderia imaginar um futuro com ele, mas no momento você também o odeia porque ele o enganou de tal maneira caminho.

Embora você se esforce para deixar tudo para trás e só pensar no futuro, as imagens da trapaça se alternam diante de seus olhos. Mais uma vez você vacila, eu o amo ou odeio?

Você não pode se decidir

Para perder a confiança em uma pessoa, nem sempre é preciso trapacear, mas também mentiras inofensivas que, com o tempo, farão o barril transbordar.

Você então se perguntará: se alguém mente para mim coisas tão inofensivas, o que acontece com as coisas importantes? Surgem dúvidas e você se sente enganado. Mais uma vez, há uma montanha-russa emocional.

Desse modo, relacionamentos de amor e ódio freqüentemente se desenvolvem entre amigos se você trair a mesma pessoa várias vezes ou esconder algo dela.

Quando desenvolvemos sentimentos de amor por alguém, é normal nos sentirmos traídos mais rapidamente por essa pessoa do que por alguém que não amamos.

Por isso é sempre melhor pensar nas consequências de um ato, porque às vezes pode ser tarde demais.

2. Dor emocional

Quando amamos alguém, achamos duas vezes mais difícil quando essa pessoa nos magoa.

Essas são lesões emocionais, porque tais lesões mentais sempre podem deixar cicatrizes mais profundas na alma do que as lesões físicas na pele.

Cicatrizes emocionais se desenvolvem quando alguém, independentemente de serem nossos parceiros, pais, irmãos ou amigos, nos magoa com palavras.

Às vezes acontece que em uma discussão você diz algo que realmente não quer dizer.

Naquele momento você não pensa nas palavras faladas e não pensa nas consequências que as palavras podem ter. A palavra falada, que pode ser muito dolorosa, não pode mais ser retirada.

Se uma pessoa que amamos nos insulta muito ou se o próprio parceiro diz “Eu estaria melhor se nunca tivesse te conhecido” ou os próprios irmãos “Se você nunca tivesse nascido”, relacionamentos de amor e ódio podem surgir.

Na verdade, isso não é ódio no sentido mais verdadeiro da palavra, mas essas declarações podem magoar profundamente e deixar você profundamente magoado.

Em seguida, nos perguntamos repetidamente se a pessoa realmente tem isso em comum ou se era apenas uma afirmação afetiva.

Nesse caso, a relação de amor e ódio surge mais da decepção, porque não teríamos esperado algo assim de uma pessoa que amamos. Adoraríamos machucá-la por ódio, mas por amor não podemos fazer isso.

Às vezes, pode ser um verdadeiro teste de emoções.

3. Objetivos diferentes

Esse ponto se refere principalmente aos amantes que têm um relacionamento de longo prazo. Muitas vezes surgem brigas porque os parceiros não têm os mesmos objetivos.

Não é incomum para a mulher ou o homem nem mesmo abordar a questão do casamento, porque ele ou ela sabe que isso vai acabar em uma discussão.

Vocês têm ideias completamente diferentes sobre o futuro juntos ou, melhor ainda, são impedidos por seu parceiro.

Esse comportamento gera frustração e a autoconfiança desaparece. Você tem medo de simplesmente jogar tudo fora, mas também quer respostas específicas que, infelizmente, não obtém.

E assim se trata do desenvolvimento de uma relação de amor e ódio. Você ama a pessoa e só quer um futuro juntos, mas você a odeia porque pode sentir que está sendo deliberadamente posta de lado.

Esses relacionamentos são relacionamentos tóxicos que devem ser encerrados o mais rápido possível. Por anos você fica no mesmo lugar e não dá um passo à frente.

Essa incerteza pode ser devastadora, mas a pessoa se senta entre dois bancos, amor e ódio.

Acredita-se que o amor pode superar todos os obstáculos, mas ainda assim o ódio nos puxa para baixo, especialmente porque sabemos que nunca chegaremos ao nosso objetivo.

Queremos forçar uma pessoa a sentir o mesmo que nós e, infelizmente, isso não é possível.

Você não pode forçar o desejo de viver juntos, todos têm que reconhecer e sentir isso por si próprios. Só então é amor verdadeiro.

4. Ciúme

O ciúme é o maior problema entre irmãos ou até amigos. Também pode ocorrer em um relacionamento amoroso, mas com menos frequência.

O sentimento de ciúme só se desenvolve em um relacionamento quando seu parceiro atingiu todos os seus objetivos e você ainda está tateando no mesmo lugar.

Pode ser qualquer coisa entre irmãos. Na maioria dos casos, a pessoa se sente negligenciada por causa da irmã ou irmão mais novo.

Costumava ser tudo sobre você, e agora que o bebê nasceu, você está em segundo lugar.

Você tem que cuidar do bebê, fazer de tudo para deixá-lo confortável, e isso cria uma espécie de relação de amor e ódio.

As coisas não melhoram depois, especialmente se seus irmãos são mais bem-sucedidos, bonitos ou populares. A inveja simplesmente surge e você não consegue suprimi-la.

Se você sentiu esse tipo de ciúme quando era criança, não há nada com que se preocupar. O problema só surge quando você o vivencia da mesma maneira que um adulto.

Nesse caso, a relação de amor e ódio pode se transformar em ódio real entre irmãos.

Nesse caso, as discussões em família não ajudam, você precisa de ajuda profissional para poder lidar com suas dúvidas e se tornar uma pessoa confiante.

Relacionamentos de amor e ódio entre irmãos podem assumir grandes proporções, que devem ser neutralizadas imediatamente.

O que você pode fazer a respeito dos relacionamentos de amor e ódio?

Existem algumas dicas que o ajudarão com seu problema de amor e ódio. O mais importante é, antes de tudo, reconhecer por si mesmo que sofre de um relacionamento de amor e ódio e que aos poucos está ganhando controle sobre sua vida.

Você não deve se deixar controlar pelos seus sentimentos, você é o governante dos seus sentimentos e você sempre tem que pensar nisso.

1. Conheça o motivo

Para enfrentar seu relacionamento de amor e ódio, você precisa encontrar o gatilho. A razão pela qual você se sente tão dividido.

Seja qual for o motivo, você deve olhar o problema nos olhos. Mesmo que seja uma coisa pequena que desperte sentimentos negativos em você, você precisa se livrar disso.

Você não pode ceder só porque o gatilho é alguém da sua família, por exemplo, especialmente naquela época. Se é alguém com quem você lida todos os dias, você precisa acabar com essa agonia mental o mais rápido possível.

Às vezes você precisa de uma pausa de tudo. Leve o tempo que precisar.

Organize seus pensamentos, às vezes ajuda se você anotar seus pensamentos para que você não esqueça de nada e tudo fique transparente na frente de seus olhos.

2. Confronto

O gatilho foi encontrado, é uma pessoa da sua vida. Você continua se machucando. Se quiser acabar com isso, você tem que buscar a conversa. A comunicação é a chave para qualquer relacionamento feliz.

Se a pessoa o ama do jeito que você a ama, ela também compreenderá seus medos e preocupações. Fale abertamente sobre o seu estado emocional e vocês terão que encontrar uma solução juntos.

É importante que a solução se ajuste a ambos os lados, que você jogue com as cartas voltadas para cima.

Esta é sua única maneira de estabilizar seu caos emocional e é por isso que você não deve meditar suas palavras. Uma conversa aberta nunca fez mal a ninguém.

Se não acabar bem e seu parceiro bloquear, pelo menos você sabe que não está na mesma sintonia quando se trata de emoções. Portanto, você pode pensar nisso como uma lição, um episódio de sua vida.

3. Ajuda profissional

Um terapeuta de casais ou psicólogo pode ajudá-lo a chegar ao fundo de seu caos emocional.

Às vezes você precisa de uma terceira pessoa que tenha uma opinião objetiva e que nos informe os erros dos outros, mas também dos nossos.

Após as sessões, você receberá dicas específicas sobre como lidar com sua relação de amor e ódio.

Você também pode fazer terapias de casal para poder trabalhar especificamente com o gatilho do relacionamento de amor e ódio e superar toda a confusão emocional com mais facilidade.

É completamente normal recorrer a um especialista quando você não sabe o que fazer sozinho. Isso abre novas perspectivas que você nunca teria descoberto.

É importante para mim que você tenha um objetivo comum para trabalhar. Este será o primeiro passo para a melhoria, basta aceitar a mudança.

O relacionamento de amor e ódio é uma mistura de emoções das quais é difícil se livrar. Relacionamentos que estão constantemente sofrendo de relacionamentos de amor e ódio e repetidamente sendo vítimas dos mesmos não têm um futuro brilhante.

Uma vez que a semente da dúvida foi plantada, devemos nos preparar para que ela dê frutos para a vida. Nesse caso, é melhor encerrar essa associação e buscar a felicidade em outro lugar.

Lembre-se sempre de que os relacionamentos de amor e ódio nem sempre precisam ter consequências graves. Às vezes, é apenas o caos emocional que achamos difícil de lidar.

São sentimentos de decepção e insatisfação que nos fazem pensar que é ódio.

Felizmente, ainda sentimos amor, o que nos dá alguma esperança e força suficiente para seguir em frente.

Latest Posts

spot_imgspot_img

Don't Miss

Stay in touch

To be updated with all the latest news, offers and special announcements.